Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Profissional Moderno

Profissional Moderno

05
Abr20

Nova forma de viver?

Luís Rito

Olá a tod@s,

 

Desde há umas semanas para cá, todos nós vimos o nosso dia-a-dia ser virado do avesso. Enfrentar uma pantemia a nível mundial é algo que muitos nunca viveram, e desde que tenho memória, nunca antes aconteceu este confinamento em casa pelo qual estamos a passar. Como sou um otimista por natureza, acredito a 100% que toda esta situação nos vai tornar mais fortes e mais preparados para o futuro. No livro Antifrágil, o autor Nassim Nicholas Taleb refere a diferença entre sistemas frágeis e antifrágeis. Basicamente e de uma forma simplificada, se um sistema tem a capacidade de beneficiar do caos e da imprevisibilidade é antifrágil, enquanto o contrário será claro, frágil. O autor fala ainda de eventos cisne negro (verdadeiros outliers), que são eventos imprevistos e que se assemelham a crises ou eventos de extrema raridade. Creio que esta pandemia encaixa perfeitamente no conceito de cisne negro, já que foi algo completamente imprevisto e que atacou numa altura em que existia elevado otimismo relativamente ao estado da economia.

 

Ora, considero que a humanidade se encaixa num sistema antifrágil, pois normalmente tem a capacidade para se melhorar continuamente quando enfrenta situações desconhecidas e situações limite. Vejam por exemplo o 11 de Setembro. Tenho a certeza que muitos processos foram revistos após a tragédia que se abateu sobre os americanos. Certamente todos os processos de segurança foram revistos e melhorados de forma a mitigar um novo ataque. Ou vejamos por exemplo acidentes relacionados com quedas de aviões. Por cada queda existiu também uma quantidade de dados que foram fornecidos a equipas responsáveis por tornar os aviões cada vez mais seguros. Cada evento cisne negro permite-nos dar saltos que normalmente não daríamos em situações normais e de conforto. Reparem que este tipo de eventos não tem que ser necessariamente mau. Por exemplo, o aparecimento do Google ou o aparecimento do iPhone foram claramente eventos que mudaram o mundo e fizeram toda uma legião de pessoas & empresas ter que se adaptar e melhorar. Felizmente, acredito que enquanto humanidade vamos estar sempre no lado antifrágil, o que significa que este tipo de eventos nos vai permitir ficar mais fortes e preparados para o futuro.

 

Black Swan

 

Parece-me que esta pandemia vai alterar muitos processos pelo mundo fora. Será que os países não poderão vir a ter protocolos ainda mais robustos em caso de futuras pandemias? Quero acreditar que sim, que tudo isto nos vai preparar para a eventualidade de um dia termos de lidar com um vírus ainda pior que o Covid-19. Até ao nível das nossas humildes vidas existiu uma grande disrupção relativamente ao que estávamos habituados. De um momento para o outro apercebemo-nos que afinal não é tão difícil fazer exercício físico em casa, aliás, só precisas de 30m por dia e força de vontade. De um momento para o outro chegámos a outra conclusão, fazer reuniões virtuais não é assim tão mau, trabalhar remotamente não é impossível, e o trabalho não pára nem somos menos produtivos por estar em casa. Acredito que nas primeira duas semanas pode ter existido uma perca de produtividade, afinal as pessoas não são máquinas, necessitam de tempo para se adapatarem a novas rotinas. Contudo, após esse período de adaptação a verdade é que a maioria acaba por ser bem mais produtiva. Agora pergunto, se as reuniões virtuais começassem a ser mais utilizadas, será que necessitaríamos de estar constantemente a fazer viagens de avião de um lado para o outro? Uma redução de viagens por exemplo na ordem dos 5% permitiria uma redução enorme da poluição. O principal combustível dos aviões é por norma querosene, o que dá origem a diversos gases que contribuem para o aquecimento global, como o monóxido e dióxido de carbono. Não poderíamos aproveitar toda esta situação para aprendermos a trabalhar de forma diferente? Hoje em dia pode não fazer sentido termos de viajar tanto quando existe uma coisa chamada internet que funciona tão bem! É bom para o planeta e é bom para as empresas que vão ver os custos com deslocações reduzidos.

 

E os hábitos de consumo? Não estarão já em franca alteração? O eCommerce tem continuado em alta, e quer queiramos quer não esta situação vai contribuir para um aumento futuro deste tipo de transações. O seu crescimento vai significar que algumas empresas vão ter que se adaptar, algumas vão prosperar muitíssimo enquanto outras vão morrer por não terem conseguido dar o salto. Outro exemplo, aqui em Portugal os pagamentos via multibanco continuavam a ser realizados com recurso a inserção de código (apesar de não perceber bem porquê). Desde que esta pandemia chegou a todas as nossas vidas, parece que de repente o contactless é uma solução perfeitamente válida (finalmente!). Acredito que já não vamos voltar ao velhinho código para valores de compra baixos.

E quanto à transformação digital? Muitas empresas e governos apercebem-se agora do quão atrás se encontram neste campo, e estão a redirecionar investimento para se melhorar. Investimento que nunca chegaria numa altura normal da nossa economia onde a maior preocupação é sempre o crescimento trimestral ou anual dos lucros (afinal há que manter os acionistas satisfeitos). Quer queiramos quer não o avanço vai ser acelerado durante este período. 

 

Como podem ver, existe muito a acontecer neste momento. Os otimistas vão ver como uma oportunidade enquanto os pessimistas vão deixar passar tudo isto sem nada fazer para se melhorarem. Do lado menos positivo, é inevitável que muitas empresas vão acabar por falir e a taxa de desemprego vai disparar. Não se avizinham tempos fáceis, mas até hoje a economia sempre recuperou de todas as adversidades que foi enfrentando, e penso que desta vez não será exceção. Vamos acabar por recuperar, mais fortes e mais bem preparados. 

Enquando indivíduos, devemos aproveitar da melhor forma, usa o tempo extra que tens para ler mais, para fazer cursos online, aprender deve ser sempre um dos maiores investimentos que podes realizar. Ainda que te sintas sem motivação e sem energia, tentar fazer algum exercício físico, vai-te fazer sentir melhor. Para quem gosta, faz alguma meditação, usa o tempo para te conheceres melhor, para descobrires o que queres fazer da tua vida, pensa sobre as tuas prioridades, onde te vês daqui a 5 ou 10 anos? Estás no caminho certo para lá chegar? Se não estás, o que deverias estar a fazer para tornar esse sonho numa realidade? Usa o teu tempo de forma sábia.

 

Por hoje é tudo, espero que tenhas gostado.

 

Até à próxima!

 

26
Mar20

Vive mais com menos

Luís Rito

Olá!

 

Antes de avançarmos mais, quero deixar o meu agradecimento a todas as pessoas da nossa sociedade que apesar dos riscos de contrairem o COVID-19, vão trabalhar todos os dias para que tudo continue dentro da maior normalidade possível. A realidade é que apesar de muitos estarem confinados há vários dias ao seu lar, outros tantos trabalham diariamente para que não nos falte nada. E não são apenas os médicos, falo também de farmacêuticos, de todo o pessoal necessário para manter um hospital aberto, motoristas de entregas de mercadorias & encomendas, toda a supply chain do retalho, limpezas, recolha de lixo, transportes públicos e todos aqueles que não referi e que continuam a fazer-nos chegar os serviços essenciais para o nosso dia-a-dia.

 

Dito isto, eu tenho a sorte de poder exercer as minhas funções através do conforto da minha casa, sendo que tirei voluntariamente alguns dias de férias durante este período de estado de emergência nacional. Muitos diriam que um período de férias numa altura em que não podes sair de casa é um autêntico desperdício de dias em que poderias estar de papo para o ar numa praia lá mais para o Verão. Eu vejo de outra forma, apesar de ter em casa um míudo de 10 anos, consigo utilizar este tempo para inúmeras coisas que não consigo no dia-a-dia normal. Uma das atividades ao qual me dediquei foi a tentar pensar e agir de uma forma mais minimalista. O minimalismo é uma forma de estar na vida, que favorece as pequenas coisas em detrimento de uma vida de consumos desenfreados e perseguição de um modelo de sucesso que foi crescendo na nossa sociedade. O objetivo é livrares-te de tudo o que está a mais na tua vida e focares-te apenas no que interessa. Existe um documentário muito bom sobre o tema no Netflix. Este documentário tem como principais protagonistas Joshua Fields Millburn e Ryan Nicodemus, fundadores deste movimento. Podes dar uma vista de olhos no documentário aqui, e também ver o site deles para teres uma ideia do que se trata.

 

Dito isto, deixo algumas questões no ar. Porque temos que consumir tanto? Porque queremos sempre a casa enorme, o carro potente e topo de gama, o telemóvel que acabou de sair ou 30 pares de sapatos e 100 peças de roupa? Existe uma pressão enorme na nossa sociedade para consumir. Somos bombardeados com publicidade a toda a hora, fazem-nos acreditar que necessitamos de certos produtos para pertencermos a uma certa classe social. Desde pequenos que nos dizem que ter sucesso é ter um emprego com um salário milionário, mesmo que isso signifique trabalhar 12h a 16h dia, mesmo que isso signifique não darmos atenção à nossa família e mesmo que isso signifique abdicar da nossa felicidade. O sucesso na nossa vida deveria ser medido em felicidade e não em euros! Contudo ser minimalista não é viver apenas com uma t-shirt e morar numa casa vazia sem móveis. Ser minimalista é ser muito exigente com aquilo que trazemos para a nossa vida, e restringirmo-nos ao que consideramos fundamental e que acrescenta valor. Todos os objetos que possuis e que não tenham um objetivo e um propósito claro devem ser eliminados, é essa a lógica de tudo isto. Tudo o que é supérfluo vai embora.

 

Minimalismo

 

Munido desta forma de ver as coisas, livrei-me de tudo o que tinha que estava a mais. Tudo aquilo que considero que não acrescenta valor nem iria acrescentar no futuro foi removido. Ter menos coisas é libertador. Pessoalmente não gosto de ver casas com amontoados de "tralha", portanto livrar-me de uma série de coisas permitiu-me ter mais espaço dentro da minha própria casa. É uma loucura as pessoas quererem casas maiores para arrumarem cada vez mais coisas. Alguns desses mesmos objetos não são utilizados há anos, e ainda assim teimamos em querer guardá-los. Sugiro que os ofereçam a quem precisa, nomeadamente casas de apoio a crianças desfavorecidas. O ter pouco também significa que vais gastar menos dinheiro em coisas que não precisas, o que por arrasto te vai fazer poupar mais e aumentar o teu pé de meia. Esse mesmo pé de meia pode ser a tua salvação em situações como a que vivemos agora, e onde existe uma real hipótese da economia se vir a ressentir.

 

No meu caso, sempre adorei livros, portanto considero fundamental rodear-me de livros que sei que vou tornar a ler no futuro, nem que seja para ir procurar uma referência ou uma frase. Apesar de gostar tanto de livros, livrei-me de uma grande quantidade deles que sabia que nunca mais iria tornar a tocar. A lógica é esta, para mim são livros que me trazem valor, mas para ti podem ser CD´s de música ou coleções de bonecos da matutano. Mantêm aquilo que te faz feliz e que adoras, ou que tenha uma função que consideres útil (por exemplo uma máquina de café) e desfaz-te do resto. Por último, consumir menos também nos torna mais sustentáveis. Todos nós temos que ajudar nesta luta, o nosso planeta não vai aguentar este ritmo de consumo desenfreado para sempre. Existe sempre um preço que vamos ter que pagar no futuro. É por isso que te aconselho a fazer o mesmo, livra-te do que não precisas, livra-te de tudo o que não está a acrescentar valor à tua vida. Sê muito rigoroso com aquilo que compras e que trazes para dentro da tua casa, e acima de tudo escolhe a felicidade acima dos bens materiais, que apenas te trazem felicidade no momento em que os compras. 

 

Por hoje é tudo, espero que tenhas gostado. Até à próxima :)

 

 

13
Mar20

Ficar de quarentena não significa parar

Luís Rito

Olá!

 

Encontramo-nos a braços com uma situação delicada, não há como negá-lo. Desde há umas semanas que o corona vírus virou o mundo de muitos de nós completamente do avesso. Eventos estão a ser cancelados em quase toda a sua totalidade, empresas mandam os seus colaboradores trabalhar a partir de casa e tem ocorrido uma corrida aos supermercados de forma louca. Antes de abordar o tema de como podemos ver a quarentena com outros olhos, gostava de deixar a minha opinião sobre os eventos que têm ocorrido nos últimos dias.

 

Por favor, mentalizem-se que o corona vírus não é o fim do mundo. Não estou com isto a dizer que não é grave, mas não há necessidade de correr para os supermercados e levar todos os enlatados ou rolos de papel higiénico. Esses bens têm que chegar para todos, e se a grande maioria levar comida que lhes dá para 6 meses não vai chegar para as necessidades de toda a população. Reparem que a situação na China começa a estabilizar, o que me leva a acreditar que em Portugal vamos ter uma fase em que a propagação do vírus poderá piorar mas que tenderá a estabilizar também. Se todos cumprirmos com as nossas obrigações o impacto poderá ser baixo, e quando falo em obrigações falo em cumprir com as normas básicas de higiene e quarentena. É estúpido na situação em que estamos organizarem-se festas a celebrar o corona vírus! Lembrem-se que podemos não estar no grupo de risco, mas todos somos potenciais transmissores da doença, e podemos infetar os nossos entes mais queridos. Portanto, quando as escolas fecharem na próxima semana tentem não deixar as crianças com os avós, já que esses apresentam um risco muito maior de não resistir ao vírus.

 


Agora que já desabafei um pouco, vamos falar de um tema bem mais interessante. Se estás a ver o copo meio vazio, digo-te já que podes encarar a quarentena como uma oportunidade. Sim, nem tudo é mau, ao trabalhares de casa vais ter mais tempo disponível (assumindo que gastas diariamente algum tempo em deslocações) no teu dia para cultivares bons hábitos. O não deveres sair de casa a toda a hora também te vai trazer mais tempo, tenta apenas não o utilizar todo a ver TV ou Netflix.

 

quarentine


1. Trabalha na tua criatividade
Uma excelente técnica passa pela escrita de 10 ideias sobre um determinado tema todos os dias. Podem ser coisas tão simples como "10 ideias de sítios onde gostaria de passar férias" ou "10 ideias de como posso ganhar tempo no meu dia-a-dia". Aproveita que estás em casa e que tens mais tempo disponível pela manhã para fazer atividades como meditação ou trabalhar a tua veia criativa. Se tens curiosidade sobre como podes utilizar a técnica de escrever 10 ideias por dia para melhorar a tua criatividade dá uma vista de olhos neste artigo.

 

2. Aproveita para pensares na tua carreira
Define um plano de desenvolvimento para ti mesmo! Onde te vês em 3 ou 5 anos? O que deves realizar para lá chegar? Pensa muito bem em formações ou certificações que necessitas, que experiência precisas de aquirir, a rede de contactos que vais necessitar e que projetos tens que completar. Utiliza o tempo extra para pensar, é normal no nosso dia-a-dia tendermos a andar sempre a 1000% e não o fazermos. Para mais detalhe sobre este tema vê este artigo.

 

3. Lê aquele livro que teima em ficar na mesa de cabeceira há vários meses
Aproveita para pôr a leitura em dia, ler vai manter a tua mente ocupada e criativa :). Se já esgotaste o stock de livros para ler compra através da Amazon para teres acesso instantâneo a muito material de leitura.

 

4. Combate a preguiça
Ficar fechado em casa é meio caminho andado para entrares em modo "Garfield" (comer e dormir). Deves combater a preguiça com todas as armas que tens! Para isso, sempre que queiras ser produtivo começa com tarefas fáceis e pequenas para combateres a inércia, elimina tudo o que são distrações, como a TV ou o telemóvel e dá pequenas recompensas a ti mesmo quando consigas atingir um objetivo. Por exemplo, por cada 50m de trabalho faz uma pausa de 10m. Para saberes mais, vê este artigo.

 

5. Aproveita para criar bons hábitos
Boa alimentação e muito descanso é sempre uma excelente aposta. Tenta comer alimentos saudáveis, ricos em vitaminas, minerais e fibras. Esquece alimentos processados e carregados de açucar, investe em muitos vegetais e frutas,  já que são ricos em antioxidantes e vitaminas. Não te esqueças de te manter hidratado, continua a beber regularmente água ou chá. Aproveita também para pores o descanso em dia. No nosso local de trabalho por vezes não é fácil fazer uma pequena sesta a meio do dia, mas em casa é perfeitamente possível. Almoça em 30m e depois fecha os olhos por 20m, vais-te sentir como novo. Tenta também manter uma rotina de horas de levantar e deitar.

 

6. Treina em casa
Lá por estares em casa não significa que fiques com o rabo sentado todo o dia. Tenta fazer algum exercício. Se tens uma garagem ou uma divisão extra então aproveita-a para te poderes mexer. Se tiveres uma passadeira ou bicicleta ainda melhor. Uma boa técnica é ligares o YouTube e pesquisares por aulas de fitness como por exemplo "Tabata". Depois é tentares seguir o ritmo dos instrutores! Se gostas de musculação e tens espaço então podes montar um mini ginásio. Vê este artigo onde te falo de como montar um mini ginásio sem que isso te leve à falência :).

 

E é tudo, uma quarentena não tem que ser o fim do mundo, aproveita-a da melhor maneira e lembra-te que as situações menos boas servem para nos ir tornando cada vez mais fortes.

 

Até à próxima

 

09
Mar20

A melhor defesa para o corona vírus

Luís Rito

Olá :)

 

Se não tens estado debaixo de uma rocha nos últimos meses, já sabes que o mundo atravessa uma fase de grande preocupação devido ao corona vírus (covid-19). Tudo isto começou na China mas rapidamente alastrou por todo o mundo. Apesar de estar obviamente preocupado com o tema, considero que as pessoas se encontram num estado de alerta demasiado elevado, principalmente as que são saudáveis e que têm um sistema imunitário forte. Passo a explicar, o corona vírus propaga-se de forma muito semelhante a uma gripe comum, e os sintomas são inclusive muito parecidos. Claro que ao dia de hoje o vírus já matou muitas pessoas, mas até nisso a gripe leva vantagem porque mata anualmente em números muito superiores. Repara, quando apanhas uma gripe não existe nenhum medicamento que a cure, o que existem são fármacos que ajudam com os seus sintomas. Na realidade, o que mata uma gripe é o teu sistema imunitário, e é por isso que em pessoas mais debilitadas este vírus pode mesmo ser fatal. Todo este alarmismo com o corona vírus vai ajudar um grupo restrito de empresas a fazer biliões com b! As grandes farmacêuticas vão ganhar muito muito dinheiro, bem como qualquer tipo de empresas com produtos ligados a desinfeção ou máscaras de proteção.

 

Claro que agora podes argumentar e dizer, ah mas o vírus propagou-se tanto pelo mundo fora. Certo, se pensares bem todos nós estamos infetados com algum tipo de vírus, uns mais prejudiciais que outros, mas é algo que ninguém escapa (a menos que viva 24h dentro de uma sala esterilizada). Se fizéssemos neste momento um mapa da propagação da gripe pelo mundo iríamos assustar-nos com o resultado. Todos os anos milhões de pessoas apanham gripe e até agora ninguém andava na rua com máscaras. Neste momento o tema mais preocupante é mesmo o covid-19 ser um vírus novo para a humanidade, como tal ainda não temos defesas no nosso organismo. Mas se olhares para as estatísticas, o número de pessoas que recuperam é largamente superior ao número de mortes (que está abaixo dos 3%). Não sou médico nem nada que se pareça, mas neste momento parece-me que o mais lógico é mesmo tentarmos fortalecer o nosso sistema imunitário, parece-me algo mais útil e sustentado que andar de máscara pela rua.

 

covid-19

 

Abaixo deixo-te algumas dicas do que deves fazer para fortalecer o teu sistema imunitário. Investe na tua saúde, se tiveres um sistema imunitário forte não tens que temer o corona vírus, já que certamente vais recuperar dele. Curioso para saber o que podes fazer? Confere abaixo.

 

1. Comer vegetais diariamente

 

Os vegetais estão cheios de coisas boas como vitamina C que vão ajudar o teu sistema imunitário a ficar à prova de bala. Deves sempre tentar que as tuas refeições tenham vegetais. Por exemplo bróculos são extremamente ricos em vitamina C, vitamina E, magnésio, cálcio, fósforo e todo um conjunto de minerais e fibras. E como se não bastasse, têm um nível calórico muito baixo, portanto podes comê-los em grande quantidade. Para obteres o melhor dos bróculos deves cozinhá-los muito pouco ou mesmo comê-los crus.

 

2. Obter vitamina D

 

Existem estudos que defendem que um nível baixo de vitamina D faz enfraquecer o teu sistema imunitário. Deves portanto ter especial atenção a esta vitamina. Para a obteres, deves tentar estar exposto a luz solar durante 15 a 20m por dia e comer alimentos ricos nesta vitamina como ovos, cogumelos, salmão, atum, sardinhas entre outros. Ainda que comas muitos alimentos ricos em vitamina D, é recomendada exposição solar, já que apenas com alimentos terás dificuldade em chegar aos níveis recomendados. Podes ainda utilizar suplementos de vitamina D.

 

3. Fazer exercício físico

 

O exercício físico (desde que não seja em excesso), irá ajudar-te a fortalecer o teu sistema imunitário. Muitos estudos defendem que ajuda a reduzir inflamações no corpo e tem ainda o bónus de reduzir o stress, que é um dos grandes fatores para não andares bem fisicamente (explico melhor à frente).

 

4. Dormir e descansar bem

 

Decerto já reparaste que quando descansas pouco o teu sistema imunitário anda mais fraco e contrais mais facilmente gripes ou constipações. É por isso que não deves facilitar neste ponto. O descanso é de extrema importância, seja na prevenção seja na cura de uma doença. Teres bons hábitos de sono como por exemplo ires dormir sempre à mesma hora e descansares pelo menos 7h-8h vão ajudar-te a resistir a este tipo de vírus.

 

5. Relaxa e não stresses

 

Sempre que estás com muito stress, o teu corpo liberta uma hormona chamada cortisol. Esta hormona é utilizada pelo nosso organismo para combater inflamações e doenças, contudo ao estares sempre em stress, o teu organismo vai libertar constantemente cortisol, pelo que quando tiveres de facto uma doença a sua ação será bem mais fraca, já que o organismo está habituado a recebê-la de forma constante. Isso vai resultar num sistema imunitário mais débil.

 

6. Bebe chá verde

 

Desde sempre que o chá verde é associado a boa saúde. Isso deve-se ao facto de ser extremamente rico em antioxidantes e ajudar a retardar o envelhecimento celular, evitar doenças cardiovasculares, combater o colesterol, etc. Por ser rico em vitamina C, K, B1, B2, potássio e ácido fólico, torna-o excelente para o fortalecimento do sistema imunitário.

 

E é tudo, manteres hábitos saudáveis é um investimento que fazes em ti, e vai-te ajudar para toda a vida. Para além de estares mais em forma também te vai ajudar a resistir a vírus como o covid-19.

 

Até à próxima :)

 

 

04
Mar20

Fitness on budget

Luís Rito

Olá :)!

 

Não tenho escrito muito sobre fitness e bem-estar, portanto hoje vamos abordar um tema que espero que te ajude, falamos de fitness on budget! Existem milhares de artigos na internet sobre treinos especiais, dietas milagrosas, etc. O que te quero falar é sobre como te podes manter em forma mesmo sem ir ao ginásio. Vou contar-te tudo sobre a minha experiência em particular, e de como é possível manteres-te fit sem teres de pagar uma mensalidade em ginásios e personal trainers (apesar de acreditar que um bom PT vale o dinheiro que cobra).

 

Posso-te dizer que tudo o que aprendi sobre ginásio foi através de livros, internet e experiência acumulada. Já treino continuamente à mais de 15 anos, e não tenho vergonha em dizer que comecei em casa (no meu quarto), com garrafões de 5l cheios de água :). Na altura pouco sabia de treinos e muito menos sabia de nutrição. Para mim foi uma revolução quando percebi que era necessário comer mais para conseguir ganhar algum músculo! Este era o nível a que estava. Como te disse, comecei de forma simples, em casa com simples garrafões de água que mais tarde evoluíram para dois halteres de 10kg cada. Foi o primeiro investimento que fiz em material de ginásio, e posso-te dizer que ainda hoje treino com esses mesmos halteres. Esta é portanto a primeira lição a tirar. A maioria do material de ginásio não tem prazo de validade, logo dura-te muitos e muitos anos (principalmente se for material básico). Isto significa que se investires 100€ em material, mas o utilizares por exemplo por 10 anos, o custo anual desse material será de 10€. Se quiseres ir ao custo mensal, então será de 0,83€ ou 83 cêntimos. Quanto a ti não sei, mas para mim parece-me um excelente investimento.

 

Não vou mentir, após treinar durante algum tempo em casa senti-me tentado a ir para um ginásio. Durante vários anos saltitei de ginásio em ginásio, mas a logística de teres de andar sempre com roupa atrás para ir treinar cansou-me. Isso e também a dificuldade que por vezes é treinar num ginásio, seja porque todas as máquinas/bancos estão ocupados seja porque queres treinar mas as pessoas insistem em falar contigo. Eu sempre fui uma pessoa que tive como objetivo estar o mínimo de tempo no ginásio, basicamente era entrar, treinar e sair. Respeito quem utiliza o ginásio para descomprimir e falar um pouco sobre tudo e mais alguma coisa, mas eu nunca senti essa necessidade. Foi por isso que acabei por tomar a decisão de treinar sempre em casa. Já o faço à cerca de 5 anos, e até agora tenho conseguido ser bastante regular (treino 5x por semana). Atenção, treinar em casa não é para todos, e vai exigir de ti um foco muito grande. Não vais ter ninguém com quem falar, e muitas pessoas dizem que depois de estar em casa não têm a força de vontade para ir treinar (que o digam as milhentas bicicletas e elípticas que habitam em casa das pessoas e servem de cabide)!

 

Então, do que vais precisar se também tu quiseres treinar em casa? Bom, em primeiro lugar terás de ter espaço..no meu caso faço-o na garagem, mas se tiveres uma divisão livre podes aproveitá-la. Quanto a material, ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, não vais precisar de máquinas, até porque as máquinas ocupam bastante espaço e são várias vezes mais caras que material básico de ginásio que te permite treinar todos os grupos musculares sem qualquer problema. Vou tomar como exemplo material da decathlon, já que muito do que tenho foi adquirido lá.

 

Rack de musculação: 150€

 

Barra de musculação 1m55: 25€

 

Discos - 2x20Kg: 60€, 2x10Kg: 30€, 4x5Kg: 30€, 4x2Kg: 12€

 

2 Halteres: 12€

 

Barra Z: 25€

 

Banco: 120€

 

4 Bloqueadores: 15,60€

 

Feitas as contas, todo o material fica em 479,6€. Não é barato, mas o valor que te apresento é o custo de uma passadeira de qualidade média! E uma coisa te garanto, com este material é possível treinar todos os grupos musculares sem qualquer problema, se bem que há medida que evoluis podes sentir necessidade de comprar por exemplo mais discos. Quando começas a treinar com alguma regularidade vais constatar que o teu corpo tem mais potencial que aquele que achas. Por exemplo, quando comecei a treinar achava que halteres de 20Kg seriam mais que suficientes para mim nos próximos anos, mas rapidamente percebi que num curto espaço de tempo esses mesmo halteres estavam a tornar-se já demasiado fáceis de levantar. Não coloques bloqueios mentais na tua cabeça e deixa-te ir.

 

Voltando ao valor, ainda que o arredondes para 500€, se assumires que o material te vai durar 10 anos (e garanto que te dura mais), o seu custo mensal andará a rondar os 4€. Fazendo a mesma conta para um ginásio, ainda que seja um dos mais baratos, se assumirmos 25€/mês (bastante baixo), ao fim de 10 anos dispendeste 3000€, ou seja, 2500€ a mais. E nem vou entrar em contas se tiveres um personal trainer :). Quanto a exercícios de cardio, se tiveres budget e espaço podes comprar uma bicicleta ou elíptica, mas não necessitas realmente disso. Apenas precisas de uns bons ténis e podes ir caminhar ou correr para o exterior, mais barato não há! Como vês não precisas de uma fortuna para começares o teu próprio ginásio, e é material que te vai durar muitos e muitos anos se tratares bem dele.

 

Por hoje é tudo, no próximo artigo falo-te de como podes dividir o teu treino durante a semana (de iniciado a veterano), e de exercícios que podes realizar com o material que te mostrei acima. 

 

Até lá boas leituras :)

 

25
Fev20

Passos para uma situação financeira controlada

Luís Rito

Olá!

 

Em linha com o que foi o meu último artigo (Sabes qual o teu património líquido?), e a pedido de algumas pessoas, trago-te hoje alguns passos que deves assegurar antes de começares a investir o teu dinheiro. Vivemos num mundo onde todos queremos resultados rápidos e eficazes, e calculo que seja por isso que me abordam algumas vezes sobre onde se deve investir o dinheiro, preferencialmente em algo que seja "praticamente certo" e com o mínimo risco possível. No artigo de hoje vou responder a algumas dessas dúvidas (espero eu!) e o meu maior objetivo é que te consiga transmitir a minha mensagem. Vamos por partes, antes de avançarmos para o tema investimentos, existem algum pré-requisitos que deves assegurar:

 

1. Realizar um ficheiro de ganhos & custos, e saber exatamente onde estás a gastar o teu dinheiro

 

Ponto fundamental, deves saber exatamente todos os teus ganhos & custos, só dessa forma serás capaz de definir objetivos de poupança realistas e que consigas cumprir na íntegra. Deves ter um ficheiro de excel onde registes todos os teus ganhos e gastos. Se fores como a maioria das pessoas, tens uma ou duas linhas de ganhos e dezenas de gastos. Deves registar todos os gastos que fazes, se for muito difícil para ti fazê-lo diariamente ao final do dia, podes tentar apenas uma vez por semana (eu pessoalmente faço-o uma vez por semana). O grande objetivo é que consigas responder exatamente quando gastas habitualmente em despesas com a tua casa, em restaurantes, em cinema, em créditos, com o teu carro, etc. Eu já o faço à vários anos, e consigo saber com grande exatidão quando gasto anualmente em cada uma destas rubricas. Só desta forma te vais aperceber em quantidades enormes de dinheiro que gastas anualmente em coisas com muito pouco valor acrescentado. Nesses casos podes optar por cortá-las da tua rotina e ao final do ano ter mais umas belas centenas de euros na tua conta. O teu grande objetivo deve ser aumentar a poupança e reduzir os gastos. Deves reservar uma percentagem dos teus ganhos para poupança e investimento.

 

2. Pagar antecipadamente tudo o que são créditos pessoais, créditos automóveis, créditos para estudos e similares

 

Assim que comeces a conseguir poupar algum dinheiro, deves utilizá-lo para pagar créditos de juros elevados que tenhas, como por exemplo créditos pessoais, créditos automóveis e similares. Este tipo de crédito custa-te muito dinheiro, para teres ideia, se fizeres um crédito pessoal de 5000€ a 36 meses, irás pagar aproximadamente 6000€ a quem te faz o empréstimo. Significa que compensa muito antecipares os pagamentos destes créditos, já que vais poupar imenso em juros. O teu objetivo deve ser pagar todos estes créditos e acima de tudo evitar contrair mais. Nunca utilizes o teu cartão de crédito se achas que não vais conseguir saldar o pagamento sem juros. O crédito deve ser utilizado como último recurso, nunca o uses para férias e afins. Se não tens dinheiro então também não podes ter vícios. Prefere sempre modalidades sem juros, elas existem, principalmente em lojas que vendem tecnologia. O único crédito que não entra nestas contas é o crédito habitação. Também compensa amortizar créditos à habitação, mas por agora foca-te no outro tipo de créditos que te falei acima antes de avançares para o próximo ponto.

 

Pagar créditos

 

3. Poupa o suficiente para 6 meses de despesas e aplica-os de forma segura

 

Assim que acabes de pagar os teus créditos (exceção ao crédito habitação), todo o dinheiro que consigas poupar deve ser colocado em aplicações seguras (como por exemplo depósitos a prazo com duração baixa e liquidez alta) até que tenhas o suficiente para 6 meses de despesas. Este dinheiro tem vários objetivos, o primeiro é fazer face a uma situação de desemprego e o segundo para fazer face a situações imprevistas. Este dinheiro vai acima de tudo trazer-te tranquilidade, vais deixar de viver preocupado com o facto do teu frigorífico avariar e teres de comprar outro ou o teu carro parar e precisares de o levar à oficina. Teres esta almofada financeira é fundamental, e só quando a tenhas deves partir para o investimento do teu dinheiro. Quanto a poupança propriamente dita, fixa uma percentagem mensal que pretendes poupar e paga a ti em primeiro lugar. É muito importante que o faças, deves apenas gastar o que te sobra e não poupar os restos ao final do mês.

 

4. Investir apenas o que não te faz falta no curto prazo

 

Se conseguiste cumprir todos os pré-requisitos acima então parabéns! Aposto que já estás financeiramente melhor que a grande maioria dos Portugueses. Está na hora de começares a pôr o dinheiro a trabalhar para ti. Tenho apenas que desmistificar uma coisa. Não me perguntem por coisas seguras e sem risco, isso não existe no mundo dos investimentos. Normalmente quanto maior o risco maior a recompensa, portanto se querem coisas seguras subscrevam depósitos a prazo ou outros produtos financeiros de capital garantido (com a agravante que pagam juros ridiculamente baixos). Os investimentos têm risco, motivo pela qual aconselho que apenas invistas o dinheiro que não vais necessitar no curto prazo. Investimentos como por exemplo a bolsa funcionam bem no médio/longo prazo, portanto tens que ter alguma paciência, esquece o ficares ric@ da noite para o dia, isso raramente acontece. Efetivamente podem acontecer situações onde consegues obter bons frutos dos teus investimentos de forma rápida (por exemplo compra & venda imóveis), mas na grande maioria dos casos investir é um maratona e não um sprint. O objetivo deste artigo não é falarmos sobre que investimentos podes realizar, pelo que apenas espero conseguir passar a mensagem que apenas deves investir dinheiro que não precisas no imediato, isto é muito muito importante. 

 

Espero ter ajudado, e lembra-te que antes de poderes começar a investir garante que cumpres todos os pré-requisitos que te falo acima, já que te vão colocar numa situação financeira muito sólida. Como em tudo, há que construir boas raízes para que a árvore possa crescer de forma segura e sustentada. Num artigo futuro falo-te de algumas alternativas onde podes começar a investir o teu dinheiro.

 

Até à próxima :)

 

16
Fev20

Sabes qual o teu património líquido?

Luís Rito

Olá!

 

Se te perguntasse ao dia de hoje qual o teu património líquido conseguirias dizer-me? Diria que a grande maioria das pessoas não o conseguiria fazer, seja porque nunca fizeram esse cálculo seja porque não o controlam de forma ativa. Se não sabes o que é, não te preocupes, explico-te já como se calcula. Na realidade, trata-se de uma conta muito simples, basicamente deves subtrair a tudo o que possuis tudo aquilo que deves:

 

Património = Tudo o que tens - Tudo o que deves

 

Parece muito fácil, mas em alguns casos pode ser complexo de calcular, principalmente para pessoas que têm múltiplos ativos e passivos. Diria que para a grande maioria das famílias é algo muito simples de calcular, mas já lá vamos. A questão que estou à espera da tua parte é, mas afinal porque tenho que saber o meu património? Na minha opinião é algo que todos nós deveríamos ter presente, já que expõe situações de sobreendividamento e ajuda a perceber se ano após ano estás ou não a aumentá-lo (e deverias). Sim, o teu património líquido deveria crescer todos os anos e não o contrário. Isto consegue-se com investimento em ativos que valorizam ao invés de desvalorizar. Dou-te um exemplo muito prático, se compras um carro novo hoje por 50k€ (pago a pronto), e após o final do primeiro ano já só vale 40k€ então o teu património caiu 10k€ só com esse negócio. Acontece exatamente o mesmo com ativos que desvalorizam muito rápido como tecnologia. Se ao invés disso investires em ativos que te pagam juros ou dividendos, e que também te oferecem a possibilidade de valorização com o tempo então o teu património irá crescer na mesma proporção.

 

 Como se calcula então este indicador? Bom, em primeiro lugar deves realizar um inventário de tudo o que tens que tenha um valor considerável, como por exemplo um imóvel, ativos financeiros, dinheiro em depósitos a prazo, um automóvel, etc. Esses são os teus ativos, que representam o que tens a dado momento. Repara que para ativos como imóveis ou automóveis deves assumir o valor de mercado e não aquilo que gostarias que valesse! Ao valor de todos os teus ativos deves subtrair o valor de todos os teus passivos como empréstimos ao banco, dívidas do cartão de crédito, e basicamente toda e qualquer dívida que tenhas. O património será então igual ao valor que obténs quando subtrais os teus passivos aos teus ativos. Este valor é tanto melhor quanto mais alto, o que significa que se tens um património negativo ou demasiadamente baixo tens que inverter rapidamente a tua situação. O mais engraçado é que por vezes tens pessoas que pensas que têm um estilo de vida muito bom, mas têm tantas dívidas que o património é extremamente baixo ou mesmo negativo. Dou-te um exemplo:

 

Ativos

 

Dinheiro em conta a ordem: 2000€

Apartamento no centro da cidade: 500 000€

Automóvel de gama alta: 65 000€

 

Passivos

 

Crédito habitação: 480 000€

Crédito automóvel: 65 000€

Múltiplos créditos em cartões crédito: 4500€

 

No caso acima simplifiquei, e coloquei poucas rubricas para que se entenda melhor. Repara que o património que te exemplifiquei é de alguém com um salário acima da média, já que conseguiu assegurar crédito para um apartamento de meio milhão e também para comprar um carro de gama alta. Vamos assumir que o carro foi adquirido novo (0 Km) com um valor muito elevado mas que após 1 ano já desvalorizou consideravelmente (como quase todos os carros de gama alta). O património neste caso é igual a:

 

Património = (2000+500 000+65 000) - (480 000+65 000+4500) = 17 500€

 

Ou seja, apesar de parecer que é alguém com um património muito elevado, na realidade o seu património líquido é de apenas 17 500€. Nestes casos costumo dizer que este tipo de pessoas está a 2 ou 3 meses da falência se perder o seu emprego, porque não vai conseguir fazer face ao elevado custo de vida que tem.

 

Fazer crescer o dinheiro

 

Por outro lado, vou agora mostrar-te o património de alguém que poupa todos os meses e tem a sua situação financeira em ordem.

 

Ativos

 

Dinheiro em conta a ordem: 1500€

Ativos financeiros (ex: ações, depósitos a prazo, etc): 30 000€

Apartamento na periferia da cidade: 150 000€

Automóvel comprado em segunda mão: 10 000€

 

Passivos

 

Crédito habitação: 125 000€

Crédito automóvel: 4000€

Dívidas em cartão de crédito: 0€

 

Património = (1500+30 000+150 000+10 000) - (125 000+4000) = 62 500€

 

Neste caso temos alguém com um vencimento mais modesto, mas que administra bem o seu dinheiro, sempre que consegue põe dinheiro de parte e continua a construir os seus ativos financeiros. Por outro lado, comprou um automóvel em segunda mão e deu um valor alto de entrada, pelo que o valor do automóvel já é superior ao crédito que tem que pagar. O mesmo acontece com o apartamento, foi utilizado algum do dinheiro poupado para dar como entrada, sendo o valor do imóvel já superior ao valor que deve ao banco. Por ter hábitos de poupança, esta pessoa também não recorre a crédito (sempre que necessita utiliza o seu próprio dinheiro), sendo portanto o valor da rubrica créditos igual a zero. Repara como o património líquido desta pessoa com vencimentos mais humildes é bastante superior ao outro exemplo que te dei acima. Repara também que ao ires investindo em ativos (rubrica ativos financeiros) o teu património continuará a aumentar ano após ano, e essa é a situação ideal. É muito importante nunca perder o foco na poupança e na aplicação em ativos, já que vão facilitar e muito a tua vida. Viver sem ter medo constante de não ter dinheiro para o que quer que seja não é sustentável. Muitas pessoas ficam em pânico quando o carro avaria e acabam por recorrer a crédito porque não fazem esta gestão diária e constante das suas finanças. Se os teus vencimentos são baixos não vivas como se fossem altos, mais tarde ou mais cedo vais ficar numa situação difícil.

 

Dito isto, baixa os teus custos de manutenção, poupa mais e sê inteligente na hora de investir teu dinheiro. Se te custa tanto a ganhá-lo, porquê livrar-se dele assim tão facilmente?

 

Por hoje é tudo, alguma dúvida que tenhas relativamente a este tema fala comigo, estou disponível para ajudar.

 

Até à próxima :)

 

 

05
Fev20

Gestão de portfólios de projetos

Luís Rito

Olá :)!

 

Hoje voltamos a temas mais relacionados com projetos, neste caso, gestão de portfólios de projetos. Esta é uma disciplinina ainda pouco utilizada nas empresas, pelo menos quando aplicada da forma mais madura. A gestão de projetos banalizou-se muito nos últimos anos, qualquer empresa já percebeu que necessita de projetos, quer para manter uma excelência operacional, quer para preparar o seu futuro. Por outro lado, a gestão de portfólios de projetos ainda está a tentar acompanhar a evolução que ocorreu ao nível da gestão de projetos. Existe muita confusão nesta área, muitos pensam que uma gestão de portfólio é ter a capacidade de gerir múltiplos projetos e já está! Na realidade, uma correta gestão de portfólio de projetos ambiciona por muito mais. O seu grande objetivo é maximizar o contributo dos projetos de forma a perseguir e atingir com sucesso os objetivos da empresa. Isto significa o seguinte:

 

Projectos devem estar alinhados com os objetivos e estratégia da empresa - Se por exemplo uma empresa define um objetivo de trabalhar na sua experiência cliente, então é óbvio que vai tentar maximizar projetos que contribuam diretamente para o incremento desse objetivo. Ao existir uma correta gestão de portfólio, projetos candidatos a serem realizados são confrontados com o que é a estratégia da empresa, e os que não estão alinhados não chegam a ser iniciados. É preferível ter um pipeline anual de projetos curto do que ter múltiplos projetos que não estão alinhados ou que ficam "meio-feitos".  

 

Projetos devem ser consistentes com a cultura e valores da empresa - Muito semelhante ao ponto de cima. Já vivi experiências em grandes empresas onde um projeto arranca e segue para a frente porque um executivo assim o exige (mesmo quando o projeto não está alinhado com os objetivos da empresa). O processo de seleção de projetos deve conter critérios que permitem atribuir classificações a cada projeto candidato, facilitando assim a escolha de em quais a empresa se deve focar em primeiro lugar.

 

Projetos devem contribuir (direta ou indiretamente) para um cash-flow positivo na empresa - Os projetos existem para criar valor na empresa, portanto é fundamental que todos eles tragam alguma espécie de valor acrescentado relativamente ao que já existe. Os projetos devem conter um business case onde se perceba qual o benefício que a empresa terá na sua implementação, bem como quais os custos de CAPEX (custos de investimento) e OPEX (custos de operação) que terá de suportar. Alguns projetos podem ter benefícios mais intangíveis como por exemplo a notoriedade da marca ou a satisfação dos colaboradores. No livro da bibliografia de Tim Cook, este fala muito de projetos que visam aumentar a sustentabilidade da empresa, e nesses casos não se olha para ROI´s e afins, faz-se apenas o que está certo para a melhoria do nosso meio ambiente. Claro que neste caso um dos objetivos estratégicos da Apple é exatamente melhorar a sustentabilidade da empresa, pelo que projetos que encaixam nessa categoria têm uma probabilidade mais elevada de serem aprovados. Todos os demais, necessitam de um business case que justifique quanto a empresa vai lucrar com a sua execução. É por isso fundamental medir em quanto o cash-flow da empresa melhorou com a execução do projeto, obrigando assim à realização de medições após a sua implementação. Não se pode implementar um projeto e assumir que já deu benefício, é vital medir quanto foi na realidade.

 

Múltiplos caminhos para o sucesso de um portfólio

 

Projetos devem utilizar da forma mais eficaz os recursos da empresa (quer pessoas quer outros recursos como dinheiro) - Todas as empresas têm recursos limitados, pelo que a lista de projetos que deve constar num portfólio deve ser escolhida de forma a maximizar a utilização dos recursos da empresa. Por exemplo, no caso de recursos financeiros, algumas empresas têm um budget anual definido para projetos, pelo que deve ser escolhido de uma forma muito criteriosa onde esse dinheiro será investido. De certa forma é muito similar a um portfólio financeiro, onde se investe o dinheiro na expectativa de o puder multiplicar quando aplicado nos ativos certos. Com os projetos é igual, no momento zero é definida uma lista de projetos onde se vai investir o budget, sendo que de seguida deve ser definido quanto se espera ganhar com a sua realização. Claro que durante o ciclo de vida do portfólio o mais provável é que as pessoas que o gerem tenham que iniciar projetos novos ou cancelar alguns onde se verifica que os benefícios atuais estão fora do que era esperado. Como podes ver, muito semelhante a um portfólio financeiro onde por vezes temos de vender posições menos boas para adquirir outras.

 

Projetos devem contribuir não apenas para a eficiência e saúde atual da empresa mas também para a preparação do futuro - Os portfólios têm que garantir a excelência atual da empresa mas também preparar o seu futuro. Isto significa que devem ser definidos limites para cada um desses tipos de projeto. Por exemplo, se uma empresa aposta num determinado ano em excelência operacional, pode escolher investir 70% do seu budget em projetos de melhoria contínua e apenas 30% em projetos transformadores. Já uma empresa que vive de inovação pode inverter e escolher mais projetos diferenciadores e menos projetos de "manter as luzes acessas". Um portfólio que apenas invista em projetos de melhoria contínua não se está a preparar para o futuro, sendo que a empresa que o está a executar corre um sério risco de ser ultrapassada pela concorrência nos anos seguintes. É por isso que deve existir um balanceamento saudável entre ambos os tipos de projetos. Ao longo do ano é possível rebalancear o portfólio, ou seja, reduzir um tipo de projetos em detrimento de outros, e aqui faço mais uma vez o paralelismo com um portfólio financeiro, onde podes por exemplo ter uma divisão entre ações e obrigações, e consoante a estratégia de investimento investe-se mais numa categoria de ativos do que noutra.

 

Bom, espero que tenha conseguido transmitir quais as bases do que deve ser uma correta gestão de portfólio. Em outros posts vou mergulhar mais neste tema.

 

Obrigado por leres e até à próxima!

 

 

 

 

29
Jan20

A ciência por detrás da perda de peso

Luís Rito

Olá!

 

Recentemente publiquei um artigo sobre perca de peso. Hoje vou entrar mais em detalhe sobre o que deves fazer se esse é um dos teus objetivos para 2020. Recordando, falei-te muito sobre consistência, e sobre o facto de teres de manter uma regularidade nas tuas ações do dia-a-dia para que consigas obter resultados. Hoje vou dar-te passo a passo o que deves fazer para que consigas perder peso (também funciona para quem quer ganhar). Não te vou falar de dietas milagrosas ou do elixir da magreza, mas sim de boas fundações que quando seguidas te conduzem ao teu objetivo.

 

A primeira informação que necessitas de descobrir é qual o teu metabolismo basal. O metabolismo basal é a quantidade de calorias que o teu corpo necessita durante 24h para se manter nutrido e assegurar as suas funções normais. Por outras palavras, é o que o teu corpo consome diariamente (e aqui estou a exluir o exercício físico). Se tiveres um smartwatch ele já te calcula uma média de calorias que dispendes por dia. Caso não tenhas um smartwatch, podes sempre recorrer a este link para descobrires o teu. Para que entendas vou fazer este exercício para mim próprio.

 

Calculadora de calorias

 

Segundo a imagem acima, o meu metabolismo basal anda a rondar as 1760 calorias, ou seja, caso não fizesse qualquer exercício físico apenas poderia ingerir cerca de 1760 calorias para conseguir manter o meu peso. Esta calculadora tem sempre uma margem de erro, já que se baseia em valores médios. No meu caso, e como tenho um smartwatch que me faz este cálculo de uma forma mais fidedigna, mostro-vos o valor que obtive (média do último ano).

 

Energia em repouso

 

Tenho portanto um desvio de mais ou menos 300 calorias em relação ao que a calculadora me indica, e pelo que conheço do meu corpo considero que o meu metabolismo basal efetivamente anda a rondar mais as 2000 calorias. Depois de obter este valor, interessa ainda adicionar o exercício físico que realizas todos os dias. Em média queimo cerca de 800 calorias em exercício físico, que é uma medida que também retiro do meu smartwatch. Vê a imagem abaixo para veres a minha média anual do ano.

 

Energia em atividade

 

Resumindo e concluindo, se somar a minha energia em repouso mais a minha energia em atividade, totalizo cerca de 2800 calorias. É esta a quantidade de calorias que posso consumir diariamente para que consiga manter o meu peso. De igual forma, se quiser aumentar ou diminuir o meu peso, apenas tenho que consumir mais ou menos calorias respetivamente. Para conseguires perder cerca de 1Kg de gordura necessitas de queimar cerca de 7700 calorias, portanto ou vais ter de te colocar num défice muito grande de calorias ou tens que fazer muito exercício. Eu pessoalmente acredito numa dieta equilibrada e não muito radical. A perca de peso deve ser contínua e não extremamente acentuada, o teu objetivo é mudares o teu estilo de vida e não andares a passar fome durante uns meses para depois estragares tudo nos meses seguintes. É por isso que as calorias que consomes devem ser de alta qualidade, já que os próprios alimentos te vão ajudar a perder mais ou menos peso.

 

Dou-te um exemplo, hidratos de carbono complexos como arroz integral, aveia ou batata doce levam mais tempo a ser digeridos pelo teu organismo. Se por um lado te vão ajudar a ficar saciado, ainda garantem uma digestão mais longa, o que significa mais calorias gastas neste processo (sim o teu corpo gasta calorias a fazer a digestão). Já os alimentos processados, para além de estarem carregados de sal e açucar (na grande maioria das vezes), ainda são bastante pobres do ponto de vista nutricional. Ou seja, a ideia é que as calorias que ingeres sejam de alta qualidade. Exemplo, 2000 calorias de carne, peixe, legumes e leguminosas cozinhados de forma saudável são o suficiente para te sentires saciado todo o dia, mesmo fazendo refeições de forma constante (já vou falar disto mais à frente). Em comparação, se comeres 2 pacotes de Pringles de 200g, vais ingerir as mesmas 2000 calorias! Este é só um exemplo de como é fácil ingerir quantidades astronómicas de calorias "nutricionalmente vazias" sem sequer darmos por isso.

 

Deixo-te outro ponto extremamente importante. Ao longo do dia, é melhor para ti fazeres pequenas refeições mas em grande quantidade do que poucas mas com muita comida. Vejo muitas pessoas que apenas tomam pequeno-almoço (e algumas ainda dizem que só o fazem quando têm tempo), almoço e jantar. Existe uma forma melhor, deverias tentar comer algo pelo menos de 3 em 3 horas. No meu caso, normalmente acordo por volta das 6h, tomo um pequeno-almoço o mais nutritivo possível, e por volta das 9h ou 9h30 como um snack de frutos secos. Por volta das 12h45 vou almoçar, por volta das 16h lancho e por volta das 19h como mais um snack. Cerca de 1h30 depois janto e finalmente antes de ir dormir faço um batido de caseína (proteína de absorção lenta). No total são cerca de 7 refeições ao dia, o que me ajuda a estar continuamente saciado e dá ao corpo abundância de nutrientes. E não venhas com a desculpa de falta de tempo para comer, todos temos 24h, portanto se não tens tempo para comer então trata de o arranjar :)!

 

Agora que sabes tudo isto, está na hora de traçares um plano. Um bom objetivo pode ser perder 0,5Kg por semana, o que significa que durante 7 dias tens que ter um défice de aproximadamente 3850 calorias (7700 divididas por 2). Dividindo as 3850 calorias por 7 dias, dá-te um total de 550 calorias/dia. Se quiseres, podes um dia por semana comer um pouco mais, mas lembra-te que tens que compensar nos restantes. Eu tenho o hábito de comer de forma saudável durante a semana para durante o fim-de-semana me poder estragar um pouco mais :). Voltando ao meu exemplo, se o meu objetivo fosse perder os tais 0,5Kg, como o meu consumo calórico diário anda a rondar as 2800 calorias então apenas poderia consumir alimentos que totalizassem mais ou menos 2250 calorias, conseguindo então o tal défice de 550 calorias. Como vês, perder peso é tudo uma questão de números.

 

Bom, este artigo já vai longo, pelo que por hoje ficamos por aqui. Noutros artigos vou falar-te de como podes controlar a quantidade de calorias que ingeres diariamente. Existem muitas aplicações que te ajudam a fazer este registo, como por exemplo o MyFitnessPal. Se tiveres curiosidade investiga.

 

Até à próxima

 

 

 

 

 

 

22
Jan20

O teu melhor investimento é em ti próprio

Luís Rito

Olá a tod@s!

 

Hoje quero falar-vos um pouco sobre investimentos. Contudo hoje não falamos de finanças, mas sim investimento pessoal. Pois é, o investimento com maior ROI ainda é o investimento em ti próprio. Duvidas? Vamos então mergulhar um pouco mais no tema.

 

Já pensaste como algumas pessoas conseguem sempre retirar o melhor da vida? Aparentam estar felizes no dia-a-dia, conseguem os bons empregos, são respeitados e ouvidos, etc etc? Na grande maioria das vezes isso não é coincidência. Muitas dessas pessoas embarcaram numa viagem de auto-melhoramento constante, que lhes permitiu chegar até onde se encontram. Não sei quanto a vocês, mas algo que me irrita é alguém culpar sempre meio mundo por não ter sucesso ou por não ter sorte, e nunca parar para pensar que o problema pode ser a própria pessoa. Existem legiões de pessoas pelo mundo fora que carregam sempre uma nuvem negra e trovejante por cima da cabeça, e como se não bastasse prejudicarem-se a si mesmos, ainda tentar transmitir alguma dessa energia negativa aos outros. Como se fosse mais fácil lidar com os seus problemas se outros também os tiverem.

 

Eu também já fui a pessoa que culpava o universo pelos meus problemas, mas adivinhem onde isso me levou? Acertaste, a lado nenhum. Não adianta culpares o teu chefe, a tua empresa ou o teu deus sobre os percalços que te acontecem. Apenas tu tens o poder de mudar e moldar a tua vida como bem o entenderes, e tudo começa por aceitares que és o único responsável por tomar as rédeas de tudo o que a ti diz respeito. Dou-te alguns exemplos, tenta mudar de...para:

 

De: "A minha empresa é uma ingrata, dou tudo no meu dia-a-dia e não sou reconhecido, não sou aumentado e o meu trabalho não me desafia"

Para: "Se estou nesta empresa é porque quero, a responsabilidade é minha. Posso sair e procurar novas oportunidades que me satisfaçam mais. Se não tenho conhecimentos suficientes vou investir 2h do meu dia a estudar e aprender novas competências que me abram novas portas"

 

De: "Fiquei muito desiludido com aquela pessoa, foi muito ingrata para mim"

Para: "Se fiquei desiludido foi porque coloquei expectativas em algo que não devia. Não cries expectativas demasiado elevadas nas pessoas. Se não gostaste de determinada atitude fala com essa pessoa e refere isso mesmo. Caso esta não compreenda, tens ainda a opção de te afastares e escolheres não ligar ao assunto"

 

De: "Tirei um curso e não encontro trabalho na minha área, estou à vários meses em casa, tenho tanto azar"

Para: "Se não encontro trabalho então o mercado está à procura de algo que não tenho. Há que descobrir o que é! Como o posso aprender? Vou transformar a procura de emprego no meu próprio emprego e investir várias horas por dia. Vou escrever artigos sobre a minha área, vou contactar profissionais experientes via LinkedIn, vou enviar CV´s e tentar ir ao máximo de entrevistas possível para descobrir o que o mercado exige. Se não existem propostas de emprego na minha área então estou na área errada, vou aprender algo novo, ainda que um pouco afastado da minha formação"

 

Personal Growth

 

Acho que já percebeste a ideia. É por isso que é tão importante investires constantemente em ti. Se o fizeres vais ganhar confiança nas tuas capacidades e vais chegar à conclusão que apenas te cabe a ti definir o melhor rumo para a tua vida. Como podes investir em ti mesmo? Experimenta algumas ideias que te coloco abaixo:

 

Ler muito

 

Tenta ler todos os dias. Pessoas que lêem muito têm bastantes mais ideias e são mais criativas do que pessoas que não o fazem. Um livro não é mais que um legado que o autor deixa ao mundo, e em que muitas vezes coloca dezenas de anos de experiência numas quantas páginas que estão ao teu alcance. Um livro pode ser um mentor, e pode ajudar-te a não cometer os mesmos erros que o seu autor. Em suma, pode poupar-me imenso tempo e dores de cabeça. Arranja pelo menos 30m do teu dia para ler, podes fazê-lo antes de ires dormir, na tua hora de almoço ou enquanto esperas ou viajas de transportes públicos. Se utilizas muito o automóvel, escolhe antes audiobooks.

 

Definir objetivos

 

Imagina uma viagem de avião sem um plano de vôo. Como saberia o piloto para onde se dirigir? Poderia andar horas em círculos ou poderia dirigir-se para um sítio completamento oposto ao seu objetivo. Na nossa vida acontece o mesmo. Deves definir objetivos muito claros para diversas áreas da tua vida, como por exemplo, traçar um plano de finanças pessoais, um plano de carreira, um plano de estudos se estiveres a tirar um curso, um plano de alimentação e exercício se estiveres a tentar manter-te em forma, etc. Sem um plano vais andar à deriva e não vais conseguir efetuar medições periódicas que te indiquem se estás ou não em linha com os teus objetivos. Não descures este ponto, é muito importante.

 

Cuidar da tua saúde

 

Quase não vale a pena explicar este ponto. Todos sabemos que a nossa saúde é das coisas, senão a coisa mais importante que temos. Por vezes fico pasmado com pessoas que compram a comida mais cara para o seu cão ou gato mas depois alimentam-se de porcarias. É tão irracional que não tem explicação. Não facilites, alimenta-te de forma saudável e pratica exercício de forma regular, é dos melhores investimentos que podes fazer por ti.

 

Escolhe ser feliz

 

Por fim, escolhe ser feliz. Não andes com uma nuvem negra por cima da tua cabeça, tenta ver o lado positivo das coisas. Se existe algo na tua vida que não gostas tenta mudá-la, és o único responsável por fazê-lo. Não culpes os outros pela tua infelicidade, e nunca descarregues em cima de pessoas que não têm qualquer culpa de estares nessa situação. Escolhe sorrir todos os dias, uma pessoa que sorri tem muito mais probabilidade de receber sorrisos de volta :).

 

E tu, também investes em ti? Deixa-me um comentário sobre isso.

 

Até à próxima

 

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Livro Liberdade Financeira

Livro PMP Questions to Conquer the Exam