Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Profissional Moderno

Profissional Moderno

28
Abr21

Afinal podemos melhorar a nossa memória?

Luís Rito

Alguma vez deste por ti a tentar lembrar-te de algo, e não conseguires? Uma memória melhor é algo que todos nós ambicionamos, e a menos que tenhas uma memória fotográfica e te lembres de tudo o que vês, ouves e lês, diria que estamos todos no mesmo barco. Uma excelente memória é útil para todas as pessoas, seja o estudante que se prepara para um exame, seja o profissional que se prepara para uma apresentação, seja para alguém que apenas se quer recordar da lista de compras quando vai ao supermercado. Hoje em dia, temos o trabalho facilitado, os telemóveis e a internet dão uma ajuda fantástica. Existe uma tendência natural para evitarmos "usar a cabeça", já que é bem mais fácil puxar do telemóvel e fazer uma pesquisa ou navegar nas nossas listas de afazeres. Os telemóveis são objetos muito úteis, e colocar informação que não necessitas de memorizar, no teu telemóvel, ajuda-te a libertar a cabeça para tarefas mais criativas. O problema revela-se quando as tarefas diárias mais criativas que fazes são ver TV ou navegar nas redes sociais. Acredito que o nosso cérebro necessita de estímulo constante para se manter bem afinado, e é por isso que tento ao máximo incluir atividades que o estimulem todos os dias. Para muita pena minha, a memória nunca foi o meu forte. Ficava maravilhado com aquelas pessoas que têm a capacidade de memorizar quantidades gigantes de informação sem qualquer dificuldade, sempre associei isso a talento inato, ou se nasce com essa capacidade ou nunca se vai conseguir chegar lá. Felizmente, ao longo dos anos tentei mudar essa minha forma de pensar. Acredito agora que qualquer pessoa tem a capacidade de atingir um nível muito bom no que quer que seja, desde que pratique de forma incansável. Claro que, efetivamente existem pessoas com maiores capacidades para certo tipo de atividades que outras. É por isso que existem escolas para crianças sobre-dotadas. De alguma forma, essas crianças conseguem extrair mais do "hardware" que dispõem. Contudo, de uma forma global, qualquer pessoa consegue chegar a um nível muito bom apenas com experiência e com treino, mesmo que não tenha uma aptidão natural. Essa é a primeira barreira que é preciso derrubar, a barreira que nos impede de acreditar em nós próprios e perseguir um objetivo, mesmo que nos pareça demasiado distante e difícil.

Munido com a atitude certa, o passo seguinte passa por entender como é que algumas pessoas conseguem ter uma memória tão boa. Existem técnicas que posso aprender ou é algo que não se consegue explicar? Bom, na minha busca descobri que na realidade existem dezenas de técnicas para nos ajudar a ter uma memória melhor. Existem livros para nos ajudar a memorizar todo o tipo de coisas, desde objetos, caras, números, localizações, datas, etc. Recomendo dois livros muito antigos que adorei ler quando chegaram às minhas mãos (ambos de Tony Buzan). Os livros têm dezenas de técnicas de memorização diferentes, algumas delas demasiado complexas e realmente difíceis de aprender, mas com certeza vais conseguir extrair uma ou duas técnicas que poderás utilizar logo a partir do dia 1. Os livros são:

 

 

E que tal fazermos um jogo? Vou colocar abaixo, 10 palavras aleatórias, e dar-te 20 segundos para as memorizares. Depois disso, escreve numa folha em branco o máximo de palavras que te lembrares.

 

  • Banana
  • Folha de papel
  • Ventoinha
  • Bicicleta
  • Televisão
  • Bola de futebol
  • Livro
  • Cadeira
  • Dedal
  • Tartaruga

 

Qual foi o resultado? Se fores como a maioria das pessoas, vais conseguir lembrar-te de um número de palavras entre 5 e 8. Se esperares 5m ou 10m, o número de palavras que te lembras vai decrescer significativamente. Isto porque o nosso cérebro é um orgão muito eficiente, e tende a utilizar o esquecimento para se desfazer de informação que considera irrelevante.

 

BrainPhoto by Paweł Czerwiński on Unsplash

 

Mas, e se te dissesse que com uma técnica simples vais conseguir lembrar-te sem dificuldade de todas as palavras? E mais, que daqui a 30m ainda vais ter essa informação gravada na tua cabeça. Acreditas? Boa, então vamos lá. Vamos utilizar uma técnica muito eficaz que é atribuir imagens a palavras, ligando-as umas a outras. O segredo é pensar na relação entre as palavras da forma o mais exagerada possível, quase ridícula, pois isso vai reforçar a tua capacidade de te lembrares com mais facilidade. Vamos começar!

A primeira palavra é banana, e a segunda é uma folha de papel. Podes ligar estas palavras por exemplo ao imaginar uma banana sentada numa secretária, com uns óculos colocados a escrever numa folha de papel gigante. A próxima palavra é ventoinha, portanto como associar a palavra papel a ventoinha? Podes por exemplo imaginar que depois de escrever no papel, a banana gigante pega na folha e atira-a para uma ventoinha, saindo dezenas de pequenos pedaços de papel da parte de trás da ventoinha. Continuando, todos os pedaços de papel que saem de trás da ventoinha se juntam e caem num cesto de uma bicicleta. Para reforçar a ideia podes imaginar que o cesto da bicicleta é gigante, o que faz com que o peso no cesto levante a roda de trás da bicicleta. Depois podes imaginar que a bicicleta começa a descer uma descida muito rápido e bate numa televisão, partindo o vidro da TV. Os vidros saltam, e vão cair em cima de uma bola de futebol, furando-a e fazendo um barulho enorme e assustando um livro gigante que está a dar uma corrida! Depois do susto o livro gigante senta-se numa cadeira para recuperar o fôlego, mas cai um dedal do céu, mesmo em cima do livro, partindo a cadeira. Por fim, imagina o dedal no chão, mas de repente levanta-se e afinal é uma carapaça de uma tartaruga. Em vez de ter uma carapaça normal é na realidade o dedal. Para fortalecer imagina a tartaruga com o dedal no lugar da carapaça a ir em direção ao mar.

Faz novamente o teste, começa na banana e vai percorrendo toda a jornada de imagens na tua cabeça. Conseguiste lembrar-te de todas as 10 palavras? Parabéns, consegues agora com algum treino fazer uso da tua imaginação para te recordares de palavras (por exemplo a lista de compras do supermercado)! Como bónus, sabes que estás a dar treino ao teu cérebro, o que é sempre algo positivo. Ao início, este tipo de associações pode ser difícil, e requer algum treino, mas ao longo do tempo torna-se cada vez mais simples, as imagens vão aparecer na tua cabeça de forma automática.

Existem técnicas mais avançadas de memorização, que podes consultar nos livros que te apresentei acima. Outra técnica excelente chama-se palácio da memória. Esta técnica tem como objetivo também interligar palavras a sítios que conheces, como por exemplo a tua casa. Para te lembrares, deves fazer o percurso pela tua casa, tudo na tua cabeça. Podes começar por imaginar a entrada da tua casa, por exemplo, no jarro que tens por cima do móvel do hall de entrada. Esse será a tua primeira etapa da viagem. Tomando como exemplo a palavra banana, podes imaginar o jarro do teu hall de entrada a cair ao chão, a desfazer-se em 1000 bocados e a sair uma banana de dentro dele, com uns óculos de sol e a dizer "Olá!!!". Depois disso, prossegues para o segundo objeto, que pode ser algo como um espelho. Sendo a segunda palavra folha de papel, podes imaginar o espelho, a enrolar-se como uma folha de papel, como se fosse um diploma. Tenho a certeza que quando começares a caminhada no teu palácio da memória, te vais lembrar que a primeira palavra é banana, e que a segunda é folha de papel. A beleza é que podes fazer o teu palácio tão grande quanto queiras. O importante é primeiro dominares o percurso e os objetos que se encontram no teu palácio, antes de começares a ligar informação que queres memorizar. Mais uma vez, ao início tudo isto te vai parecer extremamente difícil, mas como em tudo o resto, com treino tudo é possível. O segredo é praticar um pouco todos os dias. O teu cérebro vai agradecer :).